O bloqueio criativo é uma constante na rotina de quem produz (ou gostaria de produzir) conteúdo.

Às vezes, ele aparece logo no início do texto — você precisa colocar alguma palavra no papel e não vem nenhuma ideia à mente, o cérebro simplesmente tem um branco.

Outras vezes, tudo flui que é uma beleza, mas chega no final e trava.

Aí você fica queimando neurônios pensando em como fazer uma conclusão, como amarrar as ideias de forma que faça sentido.

A gente conhece bem essa situação e é sobre isso que vamos falar hoje. Portanto, caro leitor, aí vão algumas dicas para driblar a falta de criatividade e enfrentar a temida conclusão do texto.

1. Retome as ideias principais

Ao longo do seu texto, você construiu argumentos e desenvolveu um punhado de raciocínios, certo? Pois essa é a hora de retomá-los e relembrar o leitor das suas ideias centrais.

Isso não significa que você tenha que repetir tudo que já foi dito (aliás, jamais faça isso, pois vai deixar a sensação de que você não sabe mais o que dizer e está apenas enrolando).

A dica é reforçar os pontos do texto que considera mais relevantes, fazendo isso de forma resumida, para que a pessoa saia da sua página com a sensação de que aprendeu algo com aquela leitura.

2. Seja breve e objetivo

Lembra sobre o que falamos a respeito de repetições e enrolações no texto? Pois então, essa é uma das dicas mais importantes: jamais caia na armadilha do conteúdo prolixo.

O consumo de conteúdo no meio digital tem sido cada vez mais rápido e desfocado, e isso significa que pouca gente tem tempo ou disposição para ler textos longos.

Por isso, assim como os demais parágrafos, sua conclusão deve ser breve, objetiva, direto ao ponto. Prefira frases curtas e na ordem direta para transmitir as ideias de forma mais clara.

3. Faça um convite ao leitor

Uma das melhores maneiras de concluir um texto é interagindo com o leitor. Afinal, uma das premissas dos conteúdos de blog é que ele “converse” com a pessoa que está lendo, não é?

Assim, pense em fazer um convite ao leitor, leve ele a refletir, incentive-o a tomar uma ação que conduza para algo que você deseja (aqui também entra o famoso CTA ou Call to Action).

Melhor ainda se você puder incluir nesse momento um link para ele ler outro conteúdo do seu blog, se inscrever na sua newsletter ou curtir sua fanpage. Qualquer ação é válida, mas cuidado para não fazer um convite “falso”, que você não pode vai poder atender, ou encaminhar o leitor para uma página que não existe.

4. Não seja óbvio

É difícil resistir à tentação de terminar o texto com os nexos “por fim”, “concluindo”, “em resumo” etc, mas tente fazer esse esforço.

O que o leitor espera em meio a tantos textos publicados na internet é ver algo diferente, é ser surpreendido. E você não vai conseguir surpreender ninguém se fechar seu texto do jeito que todo mundo faz.

A dica aqui é clichê, mas muito útil: seja você mesmo. Pense em como você costuma encerrar uma conversa com um velho amigo. Como você o trata e como se despede dele? Tente imprimir um pouco do seu jeito no seu texto!

5. Sem pânico!

Por fim, nossa última dica é…

Ah, é brincadeira! ;D

Se você travou no final do texto, vá tomar um banho, servir um café, conversar cinco minutos com o porteiro. Uma caminhadinha na quadra também funciona — a redatora que aqui vos fala faz uso dessa técnica e atesta a eficiência.

Qualquer coisa que te distraia um pouco e faça sua criatividade aflorar novamente está valendo.

Mas a melhor dica mesmo é treinar, treinar e treinar mais uma vez. Com o tempo e a prática, sua escrita melhora e, consequentemente, fazer conclusões fica cada vez mais fácil.

Quer mais uma ajudinha? Dá uma olhada no nosso último conteúdo com 10 dicas infalíveis para escrever textos que vendem e mãos à obra! 🙂