O início de um conteúdo produzido para blog é decisivo para o sucesso e desempenho do post. A questão é como fazer uma boa introdução, pois você precisa sintetizar do que se trata o conteúdo a seguir sem revelar todas as informações cedo demais.

Se você quer prender a atenção do seu leitor de forma definitiva, buscar melhorias na introdução do texto é uma ótima estratégia. A boa notícia é que existem técnicas e dicas que vão ajudar você a fazer uma boa introdução. Vem aprender!

Por que introduzir?

Muitas pessoas não conseguem ver a importância da introdução em um texto, mas isso é uma percepção totalmente errada.

Por exemplo, o bom posicionamento de uma página no Google se deve muito a boa estrutura de um texto, incluindo o seu início. Até porque, a primeira parte que os mecanismos de busca escaneiam em um conteúdo é a introdução.

Outro ponto importante para pensar em uma boa introdução é que, muitas vezes, um texto trata de diversos assuntos ou de um assunto mais complexo que não consegue ser explicado inteiramente no título. Introduzir o tema prepara o terreno para que o leitor saiba que seu problema será resolvido ali!

5 dicas para criar uma boa introdução

Há várias dicas e técnicas de escrita que você pode usar para criar uma introdução eficiente. Aqui, nós trouxemos as mais comuns e que costumam funcionar com qualquer tipo de público:

1 – Gatilhos mentais

Os gatilhos mentais são ativados quando você consegue provocar sentimentos e emoções no leitor. Por isso, a dica é sempre começar afirmando ou perguntando algo que seja muito real e presente na vida da persona ou no tema que será explorado a seguir!

Os gatilhos mais comuns em textos, são:

  • Escassez
  • Urgência
  • Autoridade
  • Reciprocidade
  • Prova social
  • Porque
  • Antecipação
  • Novidade
  • Dor x prazer

2 – Gancho inicial

O gancho inicial é o que permite que aconteça a conexão entre o autor e o leitor. Na prática, ele é o primeiro encantamento do texto que faz com que o usuário pense “ok, acho que nesse post minhas dúvidas serão sanadas e vale a pena investir meu tempo”.

Para funcionar bem, portanto, o gancho precisa demonstrar que entende o que a persona está passando — suas dores e esse post foi escrito justamente pensando em pessoas como ela.

Assim como falamos antes, sempre vale a pena ser muito real neste momento do texto: se o leitor entender suas motivações para ter escrito este texto e que você pode verdadeiramente ajudá-lo, aí você o conquistou!

3 – Transição

A frase que compõe a transição é o momento de provar que, além de saber quais são as dores do seu leitor, você tem conhecimento para resolvê-las! Afinal, não basta identificação se não houver conteúdo de valor.

Nesse momento você pode explicar melhor o título e quais serão os assuntos tratados no decorrer do texto.

4 – Tese

A tese é como que a conclusão da transição, pois ela finaliza a introdução mostrando que vale a pena continuar lendo o texto. Se a transição tiver sido boa, a tese acaba fluindo e sendo apenas uma frase mesmo.

A ideia é que, neste momento, você faça o convite definitivo para que a pessoa permaneça no post e explore os conhecimentos que você preparou para compartilhar com ela. Use sempre palavras fortes, passando confiabilidade e animação para o que está por vir!

5 – Dados

Embasar a introdução com dados de pesquisa de mercado, com números da sua própria empresa, depoimentos de clientes e demais informações que passam credibilidade ao conteúdo por inteiro é uma boa maneira de começar o texto.

Você já começa mostrando ao leitor que entende do assunto e que tudo o que vai falar é embasado em dados reais. Logo, além de dar confiança para continuar a leitura, também se cria uma ansiedade de aprendizado pelo que você tem a transmitir.

Apesar dessas técnicas e estruturas serem bastante eficazes, para fazer uma boa introdução o mais importante não é a ordem dos elementos, mas a presença deles.

Dica final: descubra também como usar os conteúdos de blog como estratégia de conversão e melhore suas vendas através do compartilhamento de conhecimento.